Artigos


13/03/2008
PARTO EM CASA DE FELINOS
Dra. Rachel Borges Ribeiro


Ao identificar qualquer alteração comportamental ou física, como abaulamento(curvatura, convexidade) da região abdominal, tetas dilatadas e aumento de apetite, deve-se procurar um Médico Veterinário para que seja diagnosticada a possível gestação da gata.

O pré- natal deve ser adequado e acompanhado para diminuir a possibilidade de problemas no momento do parto. A gata precisa realizar um exame de ultrassonografia para identificar a quantidade de filhotes e certificar-se do tempo real de gestação, esta apenas deve ser em torno de 58 a 65 dias. Após o prazo há necessidade de intervenção cirúrgica, pois pode ter ocorrido morte fetal, o que levaria um possível comprometimento da saúde da gestante.

A maternidade deve ser orientada com alimentação adequada, e não ser utilizado nenhum medicamento que possa comprometer a qualidade da gestação. Suplementações excessivas podem acarretar problemas em todas as fases da gestação, inclusive no parto.

A gata sempre procura um local silencioso e aquecido, e quando inicia o trabalho de parto ocorre um extravasamento de líquido viscoso, aumento da freqüência respiratória e de lambeduras na região abdominal, identificando possíveis contrações, que variam de dez em dez minutos.

Após algum tempo deve-se expelir o primeiro filhote com sua placenta, os nascimentos ocorrem com intervalos de cinqüenta minutos à uma hora, com maior facilidade quando os filhotes são liberados na posição cranial. Na maioria das vezes, as gatas de raças exóticas encontram maior dificuldade no momento, tendo necessidadeda realização de uma cesariana, para garantir a saúde dela e dos filhotes. Distocias (partos difíceis) podem ocorrer quando há o cruzamento de animais de tamanhos diferentes, pois comprometem o desenvolvimento dos filhotes e também nos casos de deficiência das contrações uterinas.

Esteja por perto, a gata pode precisar de ajuda !

O proprietário sempre deve estar perto no momento do parto, pois é hábito das gatas solicitar orientação, como colocar os filhotes para mamar o colostro e limpá-los caso a gata esteja cansada durante o parto. Sempre utilizar luvas esterilizadas para não retirar o odor característico do filhote, isto pode levar uma futura rejeição. Não permitir que a gata faça a ingestão de todas as placentas, pois apesar de serem ricas em proteínas, podem levar o animal a um quadro de vômito e diarréia após o parto. Há necessidade de o proprietário identificar a finalização do parto, para que sua gata não tenha nenhum risco. No caso de algum filhote ter dificuldades no nascimento, o proprietário pode tentar empurrá-lo bem devagar, com a luva, para dentro da gata e depois esperar que o mesmo seja expelido adequadamente. Nunca puxar o filhote , pois pode levar a um rompimento e um quadro de infecção crônica na gata gestante. Se não ocorrer o procedimento adequado, então é bom procurar ajuda imediatamente do médico veterinário.

Os filhotes precisam mamar imediatamente o colostro da gata após o parto e receber lambeduras para estímulos fisiológicos e, em seguida, durante os vinte primeiros dias apenas se alimentar do leite materno.

Deve- se supervisionar a gata nas primeiras quarenta e oito horas, para garantir que esta tenha adequada habilidade materna.

Caso a gata tenha tido qualquer problema durante a gestação ou no parto, o veterinário deve orientar o proprietário a castrá-la , para evitar problemas futuros reprodutivos e psicologicos.
=====================================Visite a PET ART da Dra. Rachel Borges e marque uma consulta para seu Gato.


Comente este artigo Enviar este artigo por e-mail Imprimir este artigo Voltar para a página de artigos



Mais Artigos